Para você comemorar em grande estilo o Dia do Sexo, no domingo, preparamos pra você oito dicas quentíssimas de como proporcionar a sua parceira orgasmos múltiplos que vão deixá-la louca e torná-lo um herói.

1. Primeiro as damas:
Para satisfazer uma mulher um pouco do velho cavalheirismo ajuda muito. Para que você não pense que este tipo de cortesia é exagero, lembre-se de Lorena Bobbitt, a doida que cortou mais da metade do pênis do marido fora, justificando que “ele sempre tem um orgasmo e não me espera. É injusto.” Precisamos dizer mais alguma coisa?
Estudos afirmam que duas de cada três mulheres, em média, são isentas de clímax. Eis uma boa razão para esconder as facas!
Outro destes estudos concluiu que, entre as mulheres cujos parceiros ficaram 21 minutos ou mais nas preliminares, apenas 7,7% não alcançaram o orgasmo. A proporção agora é de cada 10 mulheres, nove ficaram satisfeitas. E tudo por causa de alguns minutos!

2. Concentração antes do jogo:
É raro o homem que se vangloria falando “Eu fiz amor com a sutileza e leveza de uma pluma”. Mas, apesar de soar meio gay, seria bem apropriado, já que os dois terços da parte interna da vagina são menos sensíveis que o outro terço externo.
O clitóris é extremamente sensível às sensações físicas e precisa ser preparado para a estimulação intensa. Evite descer logo de cara e vá devagar nos seios por bons 10 a 15 minutos.

3. Desenvolva seu senso de direção:
Quando embarcar em uma jornada em busca do orgasmo feminino, conheça o caminho ao redor da vulva – desde a pontinha do norte da glande clitoridiana (a “bolinha do amor”), os limites leste e oeste dos lábios internos até as regiões sulistas do períneo e o ânus.
Não pense no clitóris como uma pequena protuberância, mas como um domo do prazer com uma complexa rede produtora de orgasmos, o Nirvana e o coração da sexualidade feminina. Isso porque ele tem mais de oito mil fibras nervosas, mais do que qualquer outra parte do corpo humano.

4. Dedos mágicos e conversinha:
Este conselho vem das pacientes de Ian Kerner, terapeuta sexual e escritor de best-sellers sobre a sexualidade feminina. Elas contaram para ele que alguns dos seus melhores orgasmos vieram da masturbação que seus namorados aplicaram enquanto olhavam para os seus olhos e ‘falavam sacanagens’. Boca suja também dá prazer!

5. A língua é mais poderosa que a espada:
O sexo oral é um método excelente para dar orgasmos múltiplos às mulheres. A língua é uma ferramenta poderosa, mas deve ser usada com sabedoria, do contrário sua parceira vai querer fugir dela como quem corre de um touro alucinado.
Um “linguista” habilidoso raramente não recebe o reconhecimento merecido. Mas, se você não tem certeza do que deve fazer, simplesmente fique imóvel e pressione a vulva com a sua língua deixando que a mulher trabalhe. É o equivalente a deixar ela ficar por cima no sexo.
 
6. Não precisa ir tão fundo:
Pense no seu pênis como mais uma ferramenta do seu kit de sobrevivência sexual. Enfoque em penetrações rasas. Atrase. Enrole. Serpenteie. Fique perto da entrada. Pressione seu polegar contra o clitóris e gentilmente mova-o de um lado para o outro enquanto você a penetra com estocadas curtas e rasas. Ou pressione todo o comprimento de seu pênis contra o clitóris dela e gentilmente esfregue-o pelas dobras de seus lábios sem sequer penetrá-la. Vai deixá-la tonta!

7. A janela de 90 segundos:
 Antes de passar para a penetração genital e orgasmo, use estímulos manuais e orais para trazê-la o mais perto possível do ponto de inevitabilidade orgástica, o também chamado ponto sem retorno.
A posição do sexo oral é excelente para observar os sinais visíveis da excitação, especialmente quando as luzes estão acesas. Os mais específicos são o escurecimento da cor e aumento de umidade nos lábios internos dela, além da contração do clitóris. Esses são sinais de que ela está com o motor superaquecido!

8. Você já tocou, agora vamos atingi-lo diretamente:
Felizmente o ponto G, que ganhou este nome em referência ao Dr. Ernest Grafenberg, é mais uma área do que um ponto. Localizado no teto vaginal, com o diâmetro de uma pequena moeda, você pode senti-lo inchar durante a excitação. O ponto G responde a estímulos mais firmes do que o clitóris e apesar de melhorar ou aprofundar a satisfação clitoridiana, isso não vai ocorrer independentemente do clitóris. Algumas pesquisas recentes indicam que o ponto G não é nada mais do que a raiz final do clitóris.

Pronto! Aproveite o domingão (ou todos os dias, você que sabe) e coloque em prática estas dicas. Será satisfação garantida pra você e sua parceira.

Fonte: http://hypescience.com



Comentários

Deixe seu comentário


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha