cerveja-de-maconha
Aquela história de dar algumas tragadas e passar o baseado está prestes a ser esquecida. Produtores de maconha Canadenses apostam que cada vez mais pessoas vão preferir apreciar a planta como bebida.


Grandes players deste mercado já planejam criar centros de testes e fabricação de produtos para explorar a Cannabis em vários tipos de bebidas, como chás, sucos, bebidas esportivas e até mesmo na cerveja, como foi informado pela Green Organic Dutchman Holdings, em um comunicado emitido na última quinta-feira. Vale lembrar que produtores de maconha já visam o mercado de bebidas há muito tempo, e esta foi apenas a iniciativa mais recente.

Entretanto, a lei que pretende legalizar a maconha, apesar de aprovada, ainda não está em vigor, e deve passar a valer a partir de Setembro. A medida visa legalizar algumas formas de uso recreativo, inclusive a erva preparada para fumar. Grandes empresas já disputam uma posição neste mercado, prevendo o grande potencial de lucratividade.

Apesar do cenário animador para empresas que desejam explorar a cannabis em solo Canadense, produtos comestíveis, como balas, bebidas, sorvete e itens assados, continuarão sendo ilegais por pelo menos mais um ano.

Houve uma "explosão do interesse" neles, e seis de cada dez consumidores provavelmente vão optar por consumir produtos comestíveis, segundo um relatório publicado pela Deloitte na terça-feira (5).

"Muitos consumidores estão acostumados a consumir entorpecentes na forma de bebidas porque elas são socialmente mais aceitáveis que os cigarros ou vaporizadores", segundo Jason Zandberg, analista da PI Financial em Vancouver, por e-mail à Bloomberg. "Acho que as bebidas com cannabis serão uma categoria forte no Canadá quando os produtos comestíveis estiverem legalizados."

Grandes fabricantes de bebidas alcoólicas já se sentem ameaçadas

Grandes fabricantes de bebidas alcoólicas já perceberam a grande euforia do mercado com a novidade, e estão atentas à possível ameaça, segundo Charles Taerk, CEO da FairCourt Asset Management em Toronto, durante um Webinar sobre Cannabis que foi ao ar na terça-feira.

Combinando os mercados recreativo e medicinal da Cannabis, suas cifras podem girar na casa de 10 bilhões de dólares Canadenses (cerca de US$7,7 bilhões) nos prazo entre cinco e sete anos. Alguns estudos sugerem que bebidas à base de Cannabis vão superar refrigerantes tradicionais em volume de vendas até 2030, segundo Taerk.

A Green Organic fez sua aposta, mesmo em meio a especulação de que a produtora com sede em Ontário pode ser alvo de aquisição, já que seu centro pesquisas abre caminho para que outras fabricantes de bebidas em grande escala invistam no mercado da maconha diretamente ou através de joint venture (empreendimento conjunto), afirmou.

Uma produtora com sede em Winnipeg, chamada de Delta 9 Cannabis, planeja apresentar nesta semana sua Legal Lager, uma cerveja à base de centeio e sementes de canhamo, que foi criada através de uma parceria com a fabricante de cervejas artesanais, Fort Garry Brewing Co.

A cerveja não contém nenhuma das substâncias psicoativas da Cannabis. O único papel do cânhamo no processo é dar um toque de frutos secos a cerveja, e o plano da empresa é criar uma cerveja sem álcool que contenha Cannabis assim que a regulamentação permitir, segundo o CEO da Delta, John Arbuthnot.

"Estamos muito otimistas com o segmento de bebidas", disse Arbuthnot, em entrevista por telefone. "Nós sentamos e tentamos imaginar onde a cannabis se encaixaria em nossas vidas e como poderíamos garantir sua presença em um jantar familiar, e não parecia ser em um baseado ou em um vaporizador, nem sequer em um brownie."


Deixe sua opinião nos comentários.


Comentários

NA ESPERANÇA DE TRAZEREM ELA escreveu em 21/06/2018
NÃO IMPORTA COMO FOR ...... EU NÃO SEREI ESCRAVO DE PLANTA ....ISSO É COISA DE OTÁRIO
John escreveu em 22/06/2018
A cerveja é feita de uma planta também. Brasileiro ainda não está preparado para maconha. Nunca estará. Viva o Canada, sociedade avançada. Em tempo: se voce é escravo de algo ou não, o problema é seu.
Marcos escreveu em 24/06/2018
Concordo plenamente com o final do comentário do John, acrescentando que jamais conheci alguém "escravo" da Cannabis, ao contrário do que acontece com várias outras substâncias vendidas legalmente no Brasil. Mas discordo quanto ao brasileiro estar ou não preparado para ela; acho que estamos, sim, preparados para começar uma descriminalização/legalização do consumo recreativo (medicinal também, obviamente). Se fôssemos esperar que a totalidade do país estivesse pronto e de acordo, isso jamais seria possível, não só aqui como em qualquer outro lugar do mundo. Dito isso, parabéns, canadenses! Espero ver nosso país trilhando o mesmo caminho em breve!
NA ESPERANÇA DE TRAZEREM ELA escreveu em 24/06/2018
MARCOS é obvio que o escravo viciado é a favor . o Canada vai bem mas só na parte linda e brilhante que é mostra ao publico ,mas na surdina a coisa é outra né.... você pode não ter conhecido o escravo viciado mas eu conheci no dia em que mataram meu primo para roubá-lo .os dois eram escravos viciados nessa merda . consumo recreativo ? conta outra vai . o medicinal eu até concordo para doenças claro como o Canabidiol por exemplo . vicio é vicio seja nessa nojeira de maconha ou cocaína ou bebidas cerveja ,cachaça que seja .destrói que consome e quem não tem nada a ver com isso . nunca sera saudável e sempre sera um meio de atraso na humanidade. e não me venha com o papinho furado de que é só você não usar que não tem problema ,o problema é de quem usa , foi você que pago ? .......não tem problema é ? meu primo nunca se envolveu com isso ele era um homem honesto trabalhador ,tinha filho mulher um futuro pela frente e foi tudo terminado por causa dessa droga que dois vagabundo usavam. e mesmo que tivesse sido atropelado por um bêbado ainda sim é vicio é fraqueza é degradação é tristeza e humilhação . a sua ideia de DESCRIMINALIZAÇÃO/LEGALIZAÇÃO é papo furado .funciona para meia duzia mas o resto só se ferra e quem mais se ferra nesse inferno somos nós pessoas saudáveis sóbrias de bem . você pode não concordar em nada com que eu digo. beleza você é livre para isso não estou te obrigando e nunca vou mas você também nunca ira me convencer que essa nojeira sera saudável um dia . por fim se quer usar use.... SÓ DIGO UMA COISA NUNCA CRUZE NO MEU CAMINHO COM ISSO POIS EU NÃO TEREI PIEDADE . passar bem...e longe de mim .
Assinante jarbas escreveu em 26/06/2018
Tem gente aí que precisa aprender a ler! Prestem atenção no texto (12§): " A CERVEJA NÃO CONTÉM NENHUMA DAS SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS DA CANNABIS". O que eu acho uma pena, pois se cerveja é muito bom e THC é muito bom, essa cerveja aí poderia ser TUDO DE BOM!!!!! Mas vai ficar a desejar, a não ser para os abstêmios que curtem cerveja "frutada".... kkkk
John escreveu em 27/06/2018
"NA ESPERANÇA": Desculpe amigo, mas eu moro no Canadá, fazem 10 anos.. e nesse tempo eu pude conhecer a realidade do país. E, pode acreditar que, "na surdina" existe apenas onde o mercado é ilegal. Não quero transformar essa caixa de comentários numa discussão sobre drogas e liberdades pessoais. Quero apreciar essa bundinha linda da foto. Abraços.
John escreveu em 27/06/2018
... da foto, digo: da garota da semana.. rs
liell escreveu em 27/06/2018
Cara.. sinto muito pelo seu primo. Mas queria dizer uma coisa aqui.. muito do problema da maconha (e de outras drogas) é justamente a proibição.. por que dois caras precisariam roubar alguém pra poder comprar uma droga se eles mesmos pudessem plantar ela em casa pra consumir? Só não vê quem não quer, que a criminalização só fortalece o tráfico de drogas. Basta ver o que aconteceu nos EUA quando proibiram o álcool.. surgiram as máfias (al capone). Enfim.. nada justifica tirar a vida de outra pessoa, mas saiba que a discussão tem que ser feita, por que da maneira que tá, não está funcionando. Se vê pelo nível de violência que assola o país. Na maioria por tráfico de drogas (que se legalizadas, enfraqueceriam o tráfico).

Deixe seu comentário


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha