Chegada por centésimos de segundo em Talladega

Mais um domingo sem Fórmula-1, mas com muita velocidade por aí. Para que você comece sua semana em altíssima velocidade, nesta segunda-feira vou destacar as etapas de ontem do GT Brasil em Curitiba e também da Nascar em Talladega.
 
Uma pista alucinante
 
Pense em um oval com curvas muito abertas e em um carro de Nascar, que é uma verdadeira banheira sobre rodas em alta velocidade (onde os nossos Stock Car se inspiraram). Pois é... o que se vê no circuito de Talladega são pilotos andando durante toda a volta sem tirar o pé do acelerador, exceto quando a velocidade se torna absurdamente grande devido às constantes entradas no vácuo uns dos outros. É aquele tipo de pista onde, quando um carro se acidenta, muitos outros vão junto.
 
Claro que uma corrida assim não pode acontecer com chuva e, como ela apareceu, os trinos foram cancelados e a largada se deu na ordem de classificação do campeonato. A prova viu alguns acidentes múltiplos, quando sete carros bateram e, nas últimas voltas, quando dez carros ficaram em um acidente.
 
Alguns pilotos que ficaram para trás do pelotão arriscaram não parar nos boxes, o que transformou um pouco o resultado da corrida, algo também comum às corridas em Talladega. Kevin Harvick foi o grande vencedor da prova, tendo chegado apenas 11 milésimos à frente de Jamie McCurray. O terceiro colocado foi um velho conhecido, o colombiano Juan Pablo Montoya, que há alguns anos disputa as provas da Nascar entre os gordinhos americanos.
 
Em terras nacionais



                Claudio Ricci e Rafael Derani vencem em Curitiba (Foto: Fernanda Freixosa)

O que aconteceu de principal no domingo aqui no Brasil foi a disputa da terceira e da quarta etapas do GT Brasil. Um atraso na alfândega impediu que os pneus de boa parte dos carros fosse entregue no sábado e as duas provas aconteceram com características bem diferentes entre si.
 
Durante a terceira etapa, ocorreram disputas interessantes na pista, devido ao equilíbrio dos equipamentos e também dos pilotos. A primeira fila seria formada por pai e filho, Chico e Daniel Serra, mas o rebento não pôde largar devido a um problema em seu carro. Enquanto o líder João Adibe errou e perdeu posições, e Aloízio Coelho foi punido com a perda de tempo, Rafael Derani e Cláudio Ricci conseguiram traçar um caminho mais tranquilo para vencer esta etapa com sua Ferrari.

Já na prova da tarde, a quarta etapa, uma chuva assustadora transformou a corrida em uma verdadeira loteria. Daniel Serra – que não largou pela manhã – e Chico Longo foram os vencedores após uma troca inteligentíssima de pneus. Muitos erros de seus rivais também permitiram que eles conquistassem este resultado.
 
O Ford GT de Valdeno Brito e Matheus Stumpf perdeu a liderança após ficar muito tempo atrás do Safety Car quando a chuva começou. Já o amazonense Antonio Pizzonia perdeu a primeira posição após um erro no fim da reta, onde ele bateu sua Ferrari de leve. Era só o que Daniel Serra queria para levar sua Lamborghini à primeira posição da corrida em Curitiba.
 
Na classificação do campeonato, temos Cláudio Dahruj/Rafael Daniel em primeiro lugar com 68 pontos, Matheus Stumpf e Valdeno Brito em segundo com 45, e Bruno Garfinkel com Ricardo Mauricio em terceiro com 42.
 
Vem muito mais por aí no próximo domingo, como sempre. A você eu desejo uma semana Bella... como eu espero que seja a minha também. Aliás, vou ali ver umas fotos e volto só na
próxima segunda.
 
Abraço,
www.twitter.com/CarlosGarcia


Comentários

Deixe seu comentário


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha