Ninguém em sã consciência discorda quando dizemos que Monte Carlos é um dos lugares mais bonitos do mundo, não? É ainda mais bonito poder ver carros de Fórmula-1 rasgando as estreitas ruas do pequeno principado no mais charmoso GP da temporada. As fotos que o final de semana da categoria no principado então são pura covardia.

Pois bem, mas deixando de lado as questões visuais, o Grande Prêmio de Mônaco em si é uma grande procissão de carros na estreita pista. Quando não damos a sorte de acompanharmos uma batida e a entrada de um Safety Car a situação fica realmente crítica. Lembrando sempre que o aficcionado por Fórmula-1 não tem o direito de perder a largada.

Ontem, a sexta etapa do mundial teve tudo isso. Uma largada interessante, onde o alemão Sebastian Vettel conquistou a segunda posição do polonês Robert Kubica foi a primeira grande movimentação do dia.

Na sequência, ainda na primeira volta o alemão Nico Hulkenberg estampou o muro dentro do túnel e provocou a primeira entrada do carro de segurança. O espanhol Fernando Alonso, que havia largado dos boxes por bater no sábado, com isso fez sua parada obrigatória nos boxes e se garantiu entre os seis primeiros (reclamou muito de Lucas di Grassi no final e disse que, não fosse o brasileiro e teria chegado em quinto).

A partir daí nada mudou. Mark Webber encarou a liderança da procissão até o fim da prova com Vettel em segundo e Kubica em terceiro, dois carros da Red Bull e três motores Renault no pódio. Massa foi o quarto, Hamilton o quinto e Alonso o sexto, embora quem tenha cruzado a linha na P6 tenha sido o alemão Michael Schumacher, que foi punido após a prova por passar Alonso sob bandeira amarela.

Mais acidentes aconteceram, destaques para a batida de Rubens Barrichello por um problema de suspensão e da "atropelada" do afobado Jarno Trulli pra cima do pobre indiano Karun Chandok quando faltavam apenas quatro voltas para o fim. Ambos causaram entradas do Safety Car mas nem isso mais foi capaz de mudar o resultado final da corrida que... admito... foi chatinha.

Com a dobradinha dos pilotos da Red Bull, ambos assumiram agora a liderança do mundial de pilotos com 78 pontos, com vantagem para o asutraliano que venceu duas provas contra apenas uma do alemão.

A próxima etapa do mundial 2010 de Fórmula-1 acontece dia 30 de maio com o Grande Prêmio da Turquia onde, em cinco provas realizadas por lá, o brasileiro Felipe Massa venceu três, tornando-se ídolo local.

A todos, uma ótima e produtiva semana.

@CarlosGarcia



Comentários

Deixe seu comentário


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha