Nesta quarta-feira, 26, Fábio Coelho, diretor-geral do Google Brasil, foi detido pela Polícia Federal após a empresa desacatar ordem judicial de remover dois vídeos do Youtube. Nos vídeos em questão, o candidato à prefeitura de Campo Grande (MS) pelo PP, Alcides Bernal, é acusado de prática criminosa. O material, no entanto, não foi retirado do ar porque, segundo o Google, não pode ser considerado uma propaganda eleitoral negativa e a retirada comprometeria a liberdade de expressão dos usuários.

O Bella da Semana vem por meio desta discordar da atitude do Youtube em relação a não ter cumprido uma decisão judicial. Acreditamos que ordem judicial é para ser cumprida. Caso não se concorde com ela, se cumpre e depois se recorre da sentença. Foi um desrespeito com o Judiciário Brasileiro e com a população brasileira o não cumprimento por parte do youtube de uma decisão judicial.

Também discordamos de que o Youtube lute pela liberdade de expressão, que foi o argumento do mesmo para não cumprir a ordem judicial, pois tirou os vídeos do Bella da Semana do ar sem que os mesmos infringissem suas próprias normas. Nossos vídeos representam a liberdade de expressão e também a liberdade artística de nossa empresa. Quando foram retirados do ar, não nos foi dado o direito de esclarecer, discutir ou de questionar o ocorrido.

Além disso, vejo diariamente no Youtube vídeos completos do Bella da Semana (que são os que vendemos aos assinantes, portanto diferente dos vídeos que postamos no Youtube, que têm edição especial para seguir as regras impostas pelo mesmo) sendo divulgados com publicidade paga. Ou seja, o Bella da Semana não pode postar os vídeo que não infringem regras e, ao mesmo tempo, o Youtube aceita vídeos roubados do nosso conteúdo e ainda ganha publicidade em cima disso. Isso sem mencionar que, quando pedimos para receber uma parte da publicidade gerada por nossa página do Youtube, tivemos o pedido negado. Ou seja pirataria lucrativa pode, publicar vídeos que sigam as regras não pode.

Então queremos colocar em discussão  as normas do Youtube que não retiram vídeos com difamação de pessoas e empresas, ofensas a Judeus, Muçulmanos, Católicos e Evangélicos, fora os conteúdos xenofóbicos e racistas. Na opinião do Youtube, não cabe ao judiciário julgar, mas cabe a eles julgar internamente e de forma nada transparente? Tais julgamentos são baseados em quais critérios, por quais pessoas? Um juiz é um magistrado com notório saber, reconhecido pelo Poder Público, e não um funcionário de youtube que tem o direito baseado apenas na sua própria opinião regular sobre o que é ou não ofensivo.

A ´plataforma´, como o Youtube menciona, é aberta. Ainda assim não controlam o conteúdo? Por que em nosso caso específico retiraram vídeos com imagens sensuais de modelos (maiores de idade, remuneradas e que querem divulgar sua imagem) e permitem, por exemplo, vídeos da Kate Middleton nua - embora a mesma queira retirá-los do ar com a intervenção da justiça? E o caso da atriz Daniela Cicarelli, que briga judicialmente para retirar os vídeos em que ela aparece supostamente fazendo sexo na praia?

Ou seja, vídeos que mostram Daniela Cicarelli fazendo sexo ou Kate Middleton nua podem ser postados, enquanto modelos de biquíni ou os bastidores de um ensaio fotografico artístico feito por uma empresa que está há 11 anos no mercado, que emprega pessoas e é um empreendimento brasileiro, 100% legal e de sucesso, não pode ser veiculados?

A TV aberta já utilizou os clipes do Bella da Semana diversas vezes, sendo que a TV aberta é REGULAMENTADA pelo Ministério das Comunicações e pelo Ministério da Justiça.

Então, ao que parece, a liberdade de expressão só existe se for conveniente ao Youtube, se causar polêmica e gerar receita de publicidade. É isso? Quando o youtube fala que não conseguem ter controle do conteúdo postado pelos usuários, a informação me parece pouco condizente com a verdade, pois os anúncios colocados em cada página são marcados (taggeados) pela classificação de interesse e pela extensa base de dados dos usuários, previamente coletada por vocês.

Faz-se ao Youtube necessária a utilização de regras claras e um real respeito pelo direito de imagem, liberdade de expressão, pelo direito de poder se retirar conteúdo não autorizado e, é claro, respeito às decisões judiciais.





Comentários

Jerry Lewis escreveu em 28/09/2012
Meus cumprimentos pelas sua posiçao pública, Alexandre. Realmente suas palavras expressam o sentimento de todos os brasileiros que tiveram seus direitos violados pelo Youtube, em nome dessa tal \\"liberdade de expressao! Continue na luta, companheiro!
Hednaldo escreveu em 28/09/2012
Eu meio que entendo essa \\"revolta\\". Tive muitos vídeos de trabalho próprio removidos do YT só por conta da música de fundo, enquanto outros canais tem conteúdo igual ou até \\"pior\\" e continuam lá.
jorge escreveu em 29/09/2012
Apesar de enteder a posicao de voces (por ser brasileiro tambem), entendo a posicao do google. Estou morando fora do país ha alguns anos (Canada) e percebo claramente a distorcao da realidade que existe na cabeca do brasileiro em relacao a direitos individuais, liberdade de expressao e democracia como um todo. Liberdade de expressao (coisa que nao existe no Brasil), é direito BASICO de país evoluido... Por isso contrariar uma decisao judicial ditatorial dessas.. Absurdo é calar a verdade! Sinta-se a vontade pare censurar meu comentario, apesar de apenas reforcar o que escrevi acima. Desculpe pela falta de acentos.
luis flavio escreveu em 29/09/2012
Parabéns à direção do Bella da Semana pela atitude, pela postura civil e pública e pelo senso de oportunidade das colocações do Alexandre Peccin (suponho) em relação às artimanhas do You Tube, oportunidade sem a qual não saberíamos de tais parasitismos como os citados. A essa discussão interminável sobre liberdade de expressão está faltando uma certa lisura de caráter das empresas de mídia. Concordo com a CNBB que repudiou a capa de uma revista figurando um jogador de futebol como Cristo crucificado, numa espécie de banalização desrespeitosa do símbolo máximo do Cristianismo. A CNBB não é contra a liberdade de expressão, mas afirma que \\"há limites objetivos para a liberdade de expressão\\". Esses limites são os limites éticos, e não precisam ser \\"provados\\" para se entendê-los. Eles gritam até mais alto que as decisões judiciais. São evidentes. Usar o conceito de liberdade de expressão para justificar a invasão da privacidade alheia é leviandade que deveria ter interposição legal, sem ferir os princípios constitucionais de uma nação. Dar curso à pirataria autoral cabe na mesma lógica, com certeza. Um abraço.
PF escreveu em 01/10/2012
Parabens a Equipe da Bella da Semana pelo belo e serio trabalho que tem desenvolvido, com nossas lindas e respeitaveis garotas! Sou Gaucho, Brasileiro e resido na China e assinante do Bella. E lastimavel a decisao do Youtube de nao seguir publicando videos propriamente elaborados pela equipe e NAO CONSEGUIR controlar outros da conscessao dos assinantes que os internautas postam sem responsabilidade, sendo que estes em versao completas nao sao proprios a todas idades. Por outro lado, Youtube nao tirar o video sobre o candidato politico, nao deixa de ser uma decisao acertada, porque precisamos de transparencia, e a internet e\\\' uma ferramenta aliada. Bom, politica e futebol sao assuntos para um longo churrasco! Apenas deixo aqui minha opiniao. Vejo que Youtube e e outros servicos da Google sao muito bons, mas precisam serem interessantes para os Brasileiros e para o Governo Brasileiro, ou perdem sua utilidade. Na China, devido a estas situacoes e OUTRAS, eles ja nao funcionam mais, num mercado de de mais de 600 milhoes de internautas, procurei no google este numero :) , que ja deve ser bem maior (populacao da China: 1,344,130,000 (2011) Aqui YT foram trocados pelo: http://www.youku.com/ Abraco!
lj escreveu em 01/10/2012
Voces acordaram tarde hoje!!!Tá demais!!
Ricardo escreveu em 01/10/2012
Pra quem não leu nem as regras do facebook, nem acredito q tenha lido as regras das outras empresas pra saber se estava certo ou errado...

Deixe seu comentário


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha