créditos: Bella da Semana

Almoço executivo

Ai, essas idas a São Paulo andam me matando! Da última vez tive que ficar lá uma semana. Traumático, no mínimo! Se não fosse pelo divertimento que eu encontrei. Estava eu sentada num Starbucks da vida escrevendo muito calmamente, quando aparece um executivo delicioso e senta na mesa na frente da minha, de frente pra mim. Nhammy! Mas, como tava ali concentrada e tinha deadline (prometi pro editor que ia mostrar 50 paginas até o fim da semana) fiquei quietinha, na minha. Ai, céus, ele era de atrapalhar a concentração de qualquer mulher, imagina a minha!!! Foco, Stephany, foco, 50 páginas!!! Mas ele não parava de olhar... Tava frio, nenhum decote, nada a mostra, não consigo entender. Anyhow, deve ter sido alguma coisa de ferormonios, sei lá, mas ele veio até a minha mesa. Pediu licença, perguntou se não tava me atrapalhando. Eu abri o sorriso mais safado do Mercosul e disse que não, que não tava conseguindo produzir mesmo – de todo mentira não era: eu tava produzindo loucamente até a hora que ele apareceu, com o super terno Armani e o cabelo grisalho mais apetitosos do mundo, mas depois que ele chegou eu não tinha conseguido articular duas palavras que fizessem sentido. Ele então disse que não tinha costume de fazer isso, mas que tinha ficado intrigado pela minha beleza e charme (devo confessar que o i-book branquinho deve ter contribuído, mas acredito que o fato de eu exalar sexo por cada mini poro do meu corpo deve ter sido a causa principal) e pediu pra sentar. Conversamos por mais ou menos 15 minutos – papo fantástico - e ele me convidou pra jantar. A essas alturas eu já tava cansada do papel de boa moça concentrada; hora de mostrar as garrinhas: convidei pra almoçar. Ele adorou a idéia – é evidente – e marcou de me encontrar num japa ali pertinho a 1 da tarde. Trocamos cartões de visita e nos despedimos. A 1 em ponto chegava eu ao restaurante – chegar atrasada não faz parte do meu charme, morei na Inglaterra tempo suficiente pra ficar mais pervertida e pontual. 1 minuto depois ele me liga dizendo que não ia poder sair do escritório; surgiu uma reunião inesperada e ele não ia poder sair pra almoçar. Pediu mil desculpas e disse que compensaria no jantar. mmm... Perguntei se ele não teria tempo nem pra um lanchinho rápido. Ele disse que sim... perguntei se a sala dele era fechada. Outro sim... perguntei se ele não queria que eu levasse lanchinho. Ele adorou a idéia... Em menos de 10 minutos eu estava num take out Thai ali pertinho – São Paulo é uma maravilha nessas horas – pegando polvo e pato super spicy em caixinhas, cheia de mil intenções. Ele adorou – provavelmente gostou mais de me ver sentada na mesa dele de saia, pernas cruzadas deixando entrever um pedacinho da rendinha da meia 7/8, chupando pauzinhos e dizendo que adorava pimenta do que a comida. Mas acho que gostou do hot thay também... Recado dado – cinta liga aparecendo – mensagem entendida. Morro de tesão por homem inteligente! Me puxou pra frente dele, continuou sentado, tirou a caixinha da minha mão e abriu minhas pernas... continuou sentado na cadeira, olhando... minha calcinha completamente encharcada. Colocou as mãos firmes de dedos longos nos meus joelhos e subiu devagar por entre as minhas coxas. Apoiei as mãos na mesa e joguei a cabeça pra trás, colocando os pés nos braços da cadeira dele. Ele subiu a minha saia e arrancou a minha calcinha. Não me beijou na boca, foi direto ao assunto. E eu fui direto ao orgasmo! Língua macia, dedos firmes, hábeis. Coloquei meus pés no peito bem definido dele e o empurrei pra trás. Desci da mesa e fiquei de joelhos na frente dele. Aberta a calca, nenhuma surpresa: longo, firme, ereto, rosado, apetitoso! E quando ele estava a ponto de explodir... Eu em pé, de costas pra ele, mãos apoiadas na mesa. Mãos dele nos meus seios, quadris encaixados, tudo no lugar perfeito. Silêncio total, escritório cheio, porta destrancada, secretária do outro lado da parede fininha. Movimentos ondulatórios repetitivos e enlouquecedores. Muitos orgasmos. Jantamos num restaurante maravilhoso naquela noite. Festa de dedinhos por baixo da mesa; festa no banheiro (se eu não me cuidar, vou ser banida de todos os bons restaurantes de São Paulo em pouco tempo). Repetimos a dose. Almoço e jantar todos os dias da semana. Geralmente não gosto muito comer a mesma coisa todos os dias, mas abri uma exceção. Esse prato merecia ser degustado muitas vezes...

Stephany


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha