créditos: Bella da Semana

A grande sacada da camisa molhada

Tem dias que não me dá vontade de outra coisa, senão dormir nuazinha. Somente eu, os lençóis e mais nada. Dispenso até travesseiro. Pois foi numa dessas noites que me pegaram de jeito. O relógio deveria estar marcando 2 horas da manhã, quando tocou o interfone. Fiquei assustada, afinal de contas, quem poderia ser aquela hora? Vesti um short e uma camiseta branca e fui rapidamente atender. Porém, ninguém dizia nada do outro lado da linha. Ainda sim, desci até a portaria para saber o que tinha acontecido. Mas quando cheguei na frente do prédio, recebi um inesperado banho de água vindo do segundo andar. Eram 3 rapazes de mais ou menos 20 anos se divertindo em ver a mocinha aqui de camiseta molhada. Várias risadinhas e muitos elogios foram gritados da janela quando resolvi subir e bater na porta dos rapazes: - O que vocês queriam com a brincadeirinha de mau gosto, hein? Ver meus seios? Era só pedir que a tia mostrava para vocês! E ergui a camiseta prontamente para espanto dos rapazes. Aí começava "a minha" brincadeira. - Gostaram? Querem mais? Podem dizer! Um vinho chileno paga a consulta. Eles estavam boquiabertos! Não esperavam essa reação assim tão fácil, mas nem pensaram duas vezes em me convidar para entrar. Perguntei onde era o som e coloquei uma música para entrar no clima. Com a luz baixa, fui tirando minhas poucas peças de roupa. Um deles não agüentou e, ao olhar meus mamilos durinhos do frio que vinha da janela, se aproximou para me tocar. Sentia-me como se fosse de vidro pela maneira cuidadosa que me tocavam e, cada vez mais rebolava e empinava o bumbum nos outros dois que estavam sentados. Foi quando o segundo pediu para eu permitisse que ele tirasse meu short. Deixei! Afinal de contas ver aqueles rostinhos assustados e sedentos por sexo já estavam me deixando com a corda toda. Mas quando já tinha mostrando todos os meus dotes e marquinhas de biquíni, eles começaram a beijar meu corpo simultaneamente. Um deles ousava em chegar em lugares quase inacessíveis para esquentar-me com a língua. Então deixei que mandassem um pouco e perguntei se havia alguma posição especial que eles gostariam de me ver, mas disseram que não. Só gostariam de ficar nus junto comigo e que os deixassem desfrutar de pelo menos um pouquinho de mim. Permiti que ficassem nus, mas desfrutar não. Já estava bom demais para a idade deles. Brinquei um pouquinho, abusei mais um pouquinho e aí, quando eles já estavam subindo pelas paredes, parei tudo e comecei a dançar de um jeito que eles pudessem ver o que na verdade gostariam desde o início. Fiquei assim durante alguns minutos quando despedi-me com um beijinho da boquinha de cada um e uma "divertida" com seus brinquedinhos. Pobrezinhos! Preferiam morrer ao me deixar sair. Porém, as coisas não são assim tristes e por isso, fiz uma sugestão: - Quando o primeiro de vocês ficar bem calminho e me provar isso, eu deixo que visite o meu quarto. Só que agora, não tem um minuto da tarde que não tenha um deles me pedindo um a assistência extra em troca de uma garrafa de vinho importado. Se não casar com um dos pimpolhos, pelo menos posso abrir uma adega.

Stephany


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha