banner

créditos: Bella da Semana

Certos dias de praia não são os mesmos sem uma amiga por perto

Certos dias de praia não são os mesmos sem uma amiga por perto. Num sábado desses em que o tempo não estava lá aquelas coisas, convidei a Paty para ir pegar um "mormaço" comigo. Tinham poucos surfistas na água apesar das ondas estarem gigantes, e umas poucas meninas andando para lá e para cá. Então achamos a situação bem apropriada para fazer topless. Paty é uma morena pomposa e de seios fartos, assim como eu, portanto não havia jeito de não sermos reparadas. Vimos que algumas senhoras achavam aquilo um absurdo e ficaram de tititi com os salva-vidas. Não demorou muito para que um deles se aproximasse para perguntar "que pouca vergonha era aquela?" - Senhorita, por favor. Infelizmente nesta praia não está livre para esta prática. Pediria, por gentileza, que a senhorita vestisse o sutiã agora mesmo. Paty que também é boa "para a coisa", não pensou antes de lhe soltar uma forte. - Noooossa, moço! Mas que grosso você é. Isso é falta de massagem. E como seria impossível não se apaixonar por aqueles olhos azuis enormes e ombros que podiam abraçar a mim e a Paty, fizemos uma troca: nos vestimos e você sobe para nos apresentar o Posto Salva-vidas. E não precisou de muito esforço para convencê-lo. Lá fomos nós, devidamente vestidas e prontas para ser despidas. Quando ele abriu o cadeado da porta, eu o empurrei para o fundo daquela pequena sala e comecei a tirar a sua sunga. Paty ria muito e começou a ajudar tirando minha calcinha. - Acha que manda na praia, é gurizão? Sabes quem eu sou? - falava olhando fixamente nos olhos dele. - É machão! Ta pensando que vai chegando assim e mandando a gente se vestir? - É muito calor lá fora, sabia? - Paty estava se divertindo! - Pode começar a se redimir do erro me beijando bem aqui...e faz bem direitinho, viu? Os olhos azuis do salva-vidas tinham ficado ainda maiores quando nos viu ali, do jeitinho que viemos ao mundo, abraçando-o e ao mesmo tempo, nos divertindo uma com as costas da outra. Eu puxava os cabelos da Paty e beijava-a entre seus seios, enquanto as mãos dela arranhavam o abdominal do nosso indefeso salva-vidas. Foi quando nós nos tornamos seu objeto. Ele nos amarrou em um único salva-vidas e ficou brincando conosco durante horas daquela maneira. Aproveitamos todos os espaços que existia, bem como, cada pedaço do nosso corpo...deixamos que ele ficasse a vontade para nos explorar "feito o mar". E foi assim mesmo; o rapaz furava cada onda, bebia cada parte do nosso corpo, e sugava tudo o que poderíamos lhes oferecer de bom. Engraçado é que eu nunca tinha sentido a Paty com aquele gostinho de água do mar antes. Ela é uma delícia de qualquer forma. Bom, mas voltando, saímos dali prontas para um outro banho pois éramos puro suor e saliva. E quando digo "prontas", pode acreditar que é verdade. Mergulhamos nuas para um longo mergulho, enquanto lá na areia as pessoas estavam agitadas com nossa reação e com a reação que sofreu a sunga do nosso salva-vidas que acabou com problemas.

Stephany


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha