créditos: Getty Images

Barcelona

Vocação mediterrânica e arte se entrelaçam com elegância e dinamismo na mais europeia das cidades espanholas. É impossível ignorar as infinitas imagens que nos invadem a mente quando pensamos na incrível geografia do Mare Nostrum (antigo nome dado ao mar Mediterrâneo).

Entre os séculos XIX e XX Barcelona vivenciou sua primeira grande transformação urbanística (a segunda corresponde à celebração das Olimpíadas de 1992). Conseguiu emerger do místico e obscuro Barrio Gótico, projetando-se de forma prática e sofisticada. A burguesia catalã incentivou a miscigenação artística (fortemente marcada pelo Modernismo) com construções de modelo arquitetônico que, mais tarde, tornou-se referência mundial. 

Ao visitar Barcelona, nada melhor que começar pelo Mercat (mercado, en catalão) da Boquería. Ao lado de Las Ramblas, a alma da cidade, o mercado oferece uma combinação de cores, aromas e sabores. Degustando um pa amb tomaca (pão com tomate) despertamos os sentidos frente a uma infinita rede de possibilidades.

A parte histórica nos leva ao Barrio Gótico, labirinto de ruas repletas de igrejas, detalhes e mistérios. Cruzando a Las Ramblas, chegamos ao bairro Del Raval, reformado na última década e com uma vasta representação multiétnica e cultural. O modelo Puerto Olímpico, junto à estátua de Colón, é outro lugar que merece atenção.

Gaudí está sempre presente. O arquiteto, que sempre tirou inspiração da natureza, deixou um legado de templos (a singular e inacabada igreja Sagrada Família), parques (Güell, com vista privilegiada da cidade), ou casas particulares que foram transformadas em museus (Batlló ou Mila, mais conhecida como La Pedrera).

Também não podemos ignorar o Barrio de Gràcia, com uma interessante vida noturna; o Montjuich, cenário das Olimpíadas; ou o parque Tibidabo, que tem mais de um século de existência e uma das vistas mais charmosas da cidade.

A gastronomia é outro de seus pontos fortes. Os principais chefs de cozinha da Espanha são catalãos. Entre eles, podemos citar Ferrán Adriá, alquimista e exemplo na culinária mundial; Carme Ruscadella, a mulher que possui mais estrelas no guia Michelin; e Santi Santamaría, falecido recentemente.

Resumindo, Barcelona é uma cidade tranquila, com excelente transporte público e preparada para receber turistas de todo o mundo. O clima mediterrâneo traz invernos úmidos e verões bastante quentes. De julho a agosto as temperaturas podem alcançar 30°C, portanto não deixe de curtir as praias da cidade.



Dicas
Aproveite qualquer momento do dia para passear pela principal avenida de Barcelona - Las Ramblas. Lá, você poderá encontrar artistas de rua do mundo inteiro que são espetaculares, o teatro Liceu, recantos, bares, lojas e outros pontos importantes, como o Puerto Olímpico e a Plaza de Cataluña.

Um lugar pouco conhecido pelos turistas em geral, ainda que muito frequentado por moradores locais, é o Can Paixano (Carrer de la Reina Cristina, 7 - próximo de Las Ramblas). Ali é possível degustar comida tradicional, além de um espumante de produção própria (cava) a preços bem acessíveis.

Quanto à hospedagem, a oferta é infinita tanto em relação a preços, quanto em variedade. Com mais de 36 museus para visitar, destaco os seguintes: Museo Picasso, Museo de Arte Contemporáneo, Museo Nacional de Arte de Cataluña e, por que não, o curioso Museo Erótico. Para os amantes de futebol, a visita ao Camp Nou é obrigatória.





Rafael Paniagua


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha