créditos: Getty Images

Granada: um tesouro na Nicarágua

Quando pensamos em Granada, a primeira coisa que nos vem à mente é, logicamente, a cidade singular ao Sul da Espanha. Encontramos outra com o mesmo nome no Caribe. Porém a cidade sobre a qual falamos desta vez é um recôncavo escondido em terras nicaraguenses.

Fundada em 1524 por Francisco Hernández de Córdoba, Granada é conhecida por muitos historiadores como a primeira cidade fundada por europeus na América continental. Situada às margens do Lago Cocibolca ou Lago de Nicarágua (o único lago de água doce do mundo que tem tubarões e até mesmo ondas), conta com mais de 100 mil habitantes, a maioria descendente de europeus ou mestiços.

Granada conta com diversas opções de hospedagem, desde hostels para mochileiros, até hotéis de luxo para os turistas mais exigentes. A oferta de restaurantes também é variada e internacional, já que muitos estrangeiros fixaram por ali suas residências e negócios, quase sempre relacionadas com o mercado hoteleiro. Pelas ruas claras e coloniais, é fácil encontrar estabelecimentos com comidas típicas da Espanha, da Itália, dos Estados Unidos, do Peru...

É claro que você não pode deixar de provar o ´Gallopinto´, um dos pratos mais populares das terras de lá. Por falar em produtos típicos da região, fique de olho na inigualável Flor de Caña - definitivamente um dos melhores runs a ser apreciado no mundo. Recomendo qualquer safra que tenha mais de 7 anos (o preço, se comparado com sua qualidade, parece irrisório).


As ilhotas
No lago há mais de 360 pequenas ilhas que compõem uma paisagem linda e única. Destacamos as ilhas de Zapatera e Omepete. A última conta com hotéis, restaurantes e um vulcão, Concepción, cuja silhueta domina o horizonte do imenso lago que o banha. Há muitas agências de turismo que organizam passeios pela região e que podem te levar a pontos diferentes daqueles tradicionais.


O vulcão Mombacho
São mais de 4 mil anos desde a sua última erupção, e atualmente o vulcão faz parte de um parque natural aberto a visitação em horários programados. Próxima de Granada também está uma linda cidadezinha que conta com outro vulcão impressionante, o Masaya. Recomendamos este itinerário por sua beleza incrível. Além disso, a região oferece um mercado típico onde é possível apreciar o artesanato local, assim com produtos típicos e uma grande variedade de frutas, cujo destaque vai para as pequenas mangas verdes com sabor refrescante e doce. Próxima ao vulcão Mochambo está a península Aseres, repleta de restaurantes típicos que oferecem uma vasta gama de frutos do mar.

A noite de Granada também oferece diversas possibilidades de diversão, com bares internacionais e tipicamente nicaraguenses. Há desde boates para os mais animados, até cafés e teatros para os mais tranquilos. Pode-se ir de um canto a outro tranquilamente, já que as noites são calmas e pacíficas. Uma das características de Granada é a segurança que podemos sentir em suas ruas. Lá, os turistas não se preocupam com a violência.


Chegando a Granada

O ponto fraco desta viagem é que, para chegar a Granada é preciso passar por Managua - uma das cidades mais feias e perigosas da América Central. Caso opte por esta rota, recomendamos cuidado, inclusive com taxistas. Ninguém precisa passar muito tempo por ali, por isso o melhor a se fazer é sair o quanto antes.

Outra opção de chegada é através da Costa Rica, pela capital San José. Os que chegam por aqui precisam passar por uma outra cidade na Nicarágua, San Juan del Sur. Com belas praias, boas para os surfistas, oferece a tranquilidade e a beleza de uma pequena população combinadas com as comodidades de um ponto turístico.

É possível que esta é seja a primeira vez que você tenha ouvido falar sobre este destino. Caso decida visitá-lo, por favor divida conosco suas impressões deste lugar sem igual.





Rafael Paniagua


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha