créditos: Pixabay

Lapônia: rumo à Aurora Boreal

Mistério, silêncio e beleza são os atributos que melhor podem definir a este destino pouco conhecido pelos turistas. É uma viagem que pode, de fato, sair cara (o Norte da Europa sempre é mais caro e, neste caso, devido à logística necessária, é uma viagem que pode sair mais salgada do que aquelas para lugares mais convencionais), porém sem dúvidas nossos olhos jamais viram tamanha beleza.

A Lapônia (também chamada de área Sápmi) é uma região geográfica ao Norte da Europa. Faz limites, ao Norte, com o Oceano Ártico, a Oeste com o mar da Noruega e, ao Leste com o mar de Barents. A Lapônia está dividida entre os estados da Noruega, Rússia, Suécia e Finlândia. Os dois últimos, membros da União Europeia desde 1995.

 

As Auroras Boreais

Os últimos anos têm sido maravilhosos para ver as auroras boreais. A atividade solar está em nível máximo e gera reações geomagnéticas que formam o belo visual. É possível avistar auroras boreais ao Nordeste da Finlândia, tanto do topo da montanha Saana, quanto de sua cama no quarto do hotel Tundrea de Kilpisjärvi. As ocorrências são tão frequentes que às vezes até parece possível se acostumar com elas – mas não. Cada uma é tão distinta, que fica impossível não percebê-las – indo desde um arco-íris que cobre todo o céu, até as dançarinas e sinuosas.

A melhor época para vê-las é entre outubro e fevereiro, quando há mais escuridão. No entanto, por se tratar de um fenômeno natural, sua ocorrência pode ser bastante imprevisível. Mesmo que, durante esses meses, é possível avistar a aurora boreal de Reykjavík, o mais recomendado é viajar até o Norte para mais possibilidades.

 

Paisagens nevadas até Treriksröset

Adentrar uma imensidão gélida em um vagão puxado por uma moto de neve poderia ser uma sensação única. Se, além disso, tivermos um sol ao alto que propicie entardeceres incríveis, guarde sua câmera, pois você nunca mais vai querer acordar deste sonho. Uma das excursões mais populares organizadas pela Kilpissafarit é a que leva os turistas ao ponto mais ocidental do País em terra firme. Ali fica a tríplice fronteira entre Noruega e Suécia, marcada por Treriksröset, um monólito a 10 metros da costa do lago Goldajärvi. O inverno é gélido e solitário, como todos os outros, porém no verão aparecem turistas vindos dos três países costeiros – chegam até a tomar banho!

Enquanto vamos ao Norte sobre um snowmobile, de repente, atrás de uma colina, pode aparecer um grupo de esquiadores com suas mochilas imensas. Da mesma forma em que a Espanha tem seu famoso Caminho de Santiago, ali os caminhantes recorrem a uma extensão gelada (30 graus abaixo de zero) por dias ou até semanas. Aparece de tudo: de pessoas mais velhas a grupos de adolescentes. A chave do sucesso ali são os abrigos, sempre bem cuidados, gratuitos e equipados com cozinha, mesas e superfícies de madeira sobre as quais é possível montar acampamento. Qualquer um pode usá-los. Mais informações sobre como se preparar para uma expedição como essa são encontradas nas páginas de turismo da Lapônia finlandesa ou, em espanhol, no site Visit Finland.

 

O trenó puxado por huskies

Os cachorros continuam sendo os puxadores oficiais dos carrinhos de neve e facilitam a comunicação na Lapônia durante o inverno. Dar um passeio com os cães fotogênicos e conduzir um trenó puxado por eles te faz sentir em uma novela de Jack London. Em Hetta Huskies, em Enontekio, organizam uma volta de reconhecimento – o suficiente para sentir o vento gelado no rosto e fingir que está em busca de ouro – e até voltas mais longas.

 

Um bar em uma ilha

Haltinmaa, em Kilpisjärvi, é o único pub dentro de 190 km. Quem cuida dele é a terceira geração de uma família sami, que lustra com orgulho o berço artesanal onde se criou a avó. O bar é um desses pontos do caminho onde todo mundo faz uma parada – mais cedo, ou mais tarde. É um local tão frequentado por noruegueses – que pagam por suas cervejas a metade do que custariam na própria Noruega -, que tem os cardápios escritos em seu idioma e os preços em sua moeda. Haltinmaa, com uma decoração discreta de madeira e estampas, é o lugar onde se ouve histórias sobre neve, imensidão e lobos. É um desses bares adormecidos, onde é possível acontecer qualquer coisa.

 

Da sauna à neve

O costume na Finlândia é aproveitar a sauna aos sábados com a família e beber algumas cervejas antes de sair com os amigos. Nos hotéis da Lapônia há sempre uma sauna, comum ou individual. Caminhar sobre o gelo é difícil, especialmente quando você é surpreendido por um temporal. A sensação é como se você fosse o capitão Scott explorando o polo, porém com final feliz. Além disso, com sorte e sem temporais, é possível avistar pegadas de ursos, e renas e raposas selvagens.

Outra coisa que chama a atenção no lugar são os exóticos nativos. Digamos que eles sejam uma feliz mescla da altivez loira nórdica com as características suaves dos laponeses – algumas das melhores características que se podem transmitir através do gene humano.

Então, já sabe: se está cansado do calor do verão e deseja desfrutar de uma aventura única ao Norte do planeta, a Lapônia te espera – silenciosa e desafiadora.

 


Rafael Paniagua


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha