créditos: Pixabay

Viajar, surfar, preservar

Em todo o planeta, contamos com litorais quase infinitos que no oferecem, em cada canto, lugares para nossa inspiração e desfrute. Os amantes do surfe estão sempre descobrindo novos pontos, um ‘pico secreto’, uma praia inesperada...

No texto de hoje indicaremos as praias que foram consideradas RMS (Reservas Mundiais do Surfe).

 

Começamos bem pertinho, no Sul do Brasil. Por gerações, a Guarda do Embaú foi apenas uma vila de pescadores. Nos anos 70, os surfistas a descobriram. Suas dunas são espetaculares. Passou a ser uma RMS em 2016.

Dizem que Huanchaco (no Peru) é um dos lugares onde o surfe teve início, há mais de 2500 anos. Desde janeiro de 2013, a praia é uma reserva mundial do surfe.

Ericeira, em Portugal, é a única reserva de surfistas em toda a Europa (desde 2011), assim como uma área de surfe de classe mundial, com pontos míticos como Ribeira d’Ilhas ou Coxos.

Ponta dos Lobos, no Chile, recém nomeada uma reserva mundial do surfe, estava ameaçada pelo tarugo, porém ativistas, surfistas e empresas da Patagônia conseguiram comprar a área e preservá-la. Ali, as ondas podem chegar a vários metros de altura.

Malibu, na Califórnia, é a área mais conhecida do mundo quando se fala de surfe. A cultura deste esporte surgiu por ali entre as décadas de 50 e 60, com uma perfeita direita. Foi declarada RMS em 2009. Santa Cruz, também na Califórnia, faz parte da lista das reservas mundiais desde fevereiro de 2011 e é uma praia democrática, onde surfam desde iniciantes até os mais experientes. Possui, pelo menos, 23 pontos perfeitos para se surfar.

Noosa, na Austrália, foi a última praia a ser incorporada à lista das reservas mundiais até o momento. São 4 km de praia com cinco picos que vão do Rio Noosa até a praia Sunshine. Outra região da Austrália com picos dos sonhos é Manly, a praia mais popular de Sidney para a prática do esporte. Desde março de 2010 é declarada uma RMS. Ainda na Austrália, Snapper Rocks é uma região com 20 km de praia com ondas de classe mundial.

 

Desfrute das ondas e da natureza. Acima de tudo, respeite o meio ambiente para que continue nos apresentando destinos tão exóticos e paradisíacos. Entre os antropólogos, existe a tendência de não revelar o enclave das descobertas de tribos desconhecidas – talvez com algumas praias deveríamos fazer o mesmo...

Boa viagem e ótimas ondas!

 


Rafael Paniagua


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha