créditos: Bella da Semana

Por que estamos ficando obesos?

Para respondermos a esta pergunta temos que retornar ao passado, temos que voltar muito na história para entendermos este processo. Para ilustrar e facilitar o entendimento, vamos utilizar os exemplos apresentados nos livros "A Culpa é da Genética" e "O Gordo Absolvido". No zoológico de Atlanta existe um orangotango chamado Chantek. Chantek nasceu em cativeiro e teve os mesmos cuidados que são destinados a uma criança. Sempre bem alimentado e com pouco espaço físico para se movimentar, comparado a selva de Bornéu, seu habitat natural, nosso amigo chegou ao peso de duzentos e vinte e cinco quilos, três vezes o seu peso ideal. Os níveis de saúde de Chantek não iam nada bem em função do sobrepeso. A saída foi fazê-lo passar por uma dieta rigorosa. Chantek passou a pesar cento e oitenta e cinco quilos de raiva, pois aprendeu desde cedo, como os humanos, a comer de forma exagerada e sentia muito prazer nisso. Resultado: Chantek, já alucinado, conseguiu fugir e atacou um tambor de comida de duzentos litros, semelhante a estes ataques que damos na geladeira quando fazemos dietas rigorosas. O interessante é que não existem orangotangos obesos no seu habitat natural. Apesar de possuírem o mesmo apetite voraz que Chantek, para conseguir alimento os orangotangos selvagens tem que vasculhar muito pela selva. Portanto, a comida não é tão farta e para consegui-la é necessário queimar calorias. O outro exemplo é dos índios Pima, seres humanos assim como nós, os Pima viviam nos Estados Unidos e eram nômades. Migravam de norte a sul do país acompanhando o movimento dos bizontes, sempre em busca de pasto verdejante. Em função desse estilo de vida eram magros e saudáveis. Um belo dia, o homem branco incomodado com essas subidas e descidas dos Pima, resolveu dar-lhes um pedaço de terra para que ali se estabelecessem e deixassem de ser nômades. Resultado: tornaram-se sedentários, trocaram os bizontes por hambúrgueres e os Pima ficaram obesos e diabéticos. Com o tempo se verificou que os Pima, apesar de terem ficado com o estilo de vida igual ao do homem branco, tinham uma população de obesos e diabéticos muito mais significativa. Descobriu-se, então, que os Pima possuíam uma pré disposição genética a obesidade, que não vinha a tona quando eram nômades. Estes dois exemplos nos ensinam muito. Nos mostram que o ser humano, em busca da comodidade e "evolução", está se tornando cada vez mais sedentário e não necessita mais lutar pelo alimento que se apresenta de forma farta. Estamos iguais ao orangotango Chantek, trancados em nossas tendas eletrônicas, com espaço físico limitado e mínimos movimentos, em frente da TV ou do computador e a geladeira cheia. Os Pima, apesar da predisposição a obesidade e diabetes, com o seu antigo estilo de vida nômade, conseguiam anular esta tendência negativa. Isto nos ensina que, com um estilo de vida mais saudável, praticando exercícios e com o controle da alimentação, conseguimos anular os efeitos de uma predisposição genética a obesidade e a certas doenças.

Flavio Sobierajski


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha