créditos: Bella da Semana

O Pólo Hípico

O pólo hípico é talvez o esporte eqüestre mais antigo, já que as corridas de cavalo eram de tração antes de serem montadas. O surgimento do pólo hípico data de vários séculos antes da Era Cristã, podendo assim ver como é antiga a prática deste esporte. Mas como todos os esportes, existem divergências sobre o nascimento do jogo: umas das hipóteses mais aceitas é que o pólo tenha surgido na China e na Pérsia há dois mil anos, e era um exercício de treinamento de guerra, com disputas que reuniam centenas de cavaleiros para cada lado. A verdade é que, pelos fatos conhecidos, a caça ou a briga do jogo se incluía nos hábitos dos novos cavaleiros e pastores, que poderiam reivindicar sua invenção. Persas, tibetanos, mongóis, árabes e, posteriormente, chineses e hindus praticaram jogos coletivos eqüestres assemelhados ao pólo. A origem da palavra "pólo" originou-se da palavra "pulu" que significa "bola" em dialeto balti do Tibet. A primeira partida de pólo, segundo os ingleses, foi disputada na Pérsia, 525 AC. Dário, rival de Alexandre teria sido um fanático entusiasta do pólo. Existem informações históricas de que os cruzados trouxeram para a Europa um jogo em que se utilizavam tacos. As partidas das quais participavam cavaleiros, em número variável, acabavam se degenerando em verdadeiras batalhas. O espírito esportivo e a punição contra a dureza do "jogo cruzado" só se manifestam em meados do século XIX. Na Birmânia, os plantadores de chá ingleses acabaram descobrindo o Pólo, praticado pela gente da terra e, com igual entusiasmo, engajaram-se nele. Logo abrangeu os Regimentos britânicos instalados na Índia. Fascinados com o jogo, os colonizadores ingleses instituíram a tradição do pólo na terra natal, onde em 1872, o capitão Francis Herbert, fundou o primeiro clube, o Monmouthshire. E, em 1.869, foi disputada a primeira partida oficial de Pólo na Europa, em Hounlow, no Middlesex. Depois desse evento surgiu a Hurlingham Polo Association, que, aos poucos, foi elaborando o código do jogo, deixando evidente que o sucesso da nova modalidade de esporte foi imediato. O Pólo expandiu-se por toda a Inglaterra, pelas Américas do Norte e do Sul, passando a ser conhecido no mundo inteiro. Hoje o Calcutá Polo Club, fundado em 1862, é o mais antigo do mundo. Já as primeiras regras oficiais foram constituídas pelo nobre inglês John Watson no início da década de 1870. As regras do jogo Cada time de pólo é formado por quatro cavaleiros, numerados de um a quatro. Os lances se sucedem com grande velocidade onde a coragem e a técnica dos jogadores, somadas à qualidade e ao preparo dos cavalos, proporcionam jogadas individuais e combinadas sensacionais. A duração varia de 6 a 8 tempos, com intervalos de 3 minutos para troca de cavalos. Cada tempo é de 7 minutos e 30 segundos de jogo. O Pólo é jogado sobre um terreno gramado, levando em conta as características do campo: aberto ou fechado. As medidas máximas são 275 x 180 m. As partidas são arbitradas por dois juizes a cavalo pela extensão do campo e à velocidade do jogo. No jogo são utilizadas bolas de madeira leve, pesando cerca de 125 gramas, sendo absolutamente proibido ao jogador participar sem seu capacete. Os jogadores são classificados por um handicap - de 1 a 10 a gols - que somado constitui o handicap de cada time. Em caso de desigualdade, o time mais fraco inicia a partida com a diferença de handicap convertida em gols (handicap multiplicado pelo número de tempos, dividido por seis, sendo que cada fração conta meio gol). Como os jogos de equipe, o pólo alia o controle de bola dos esportes de raquete aos elementos táticos do futebol, além de exigir do jogador um avançado nível de equi¬tação. Por todos estes motivos, é considerado um dos esportes mais difíceis que existem. O objetivo é atacar o gol adversário sem per¬mitir o "vazar" da própria defesa. É um jogo muito veloz, composto tanto de raciocínio estratégico quanto de coragem física, necessária para encarar as disputas de bola que são a alma do esporte. Os cavalos de pólo são PSIs puros ou mestiços, muito ágeis e rápidos, criados e educados para adquirirem um instintos de jogo comparável ao "cow sense" dos cavalos que trabalham com gado. Um bom condicionamento físico e bastante fôlego, além de pernas saudáveis são essenciais ao jogo. É um esporte onde tudo que acontece é em grande escala - desde o tamanho dos campos até a quantidade de cavalos necessária por jogador. O pólo é um jogo interditado aos canhotos. Os norte-americanos e argentinos atualmente, disputam a posição de melhores jogadores do mundo. O pólo brasileiro O grande diferencial deste esporte nobre está na tradição familiar, em que a paixão passa de pai para filho. Na virada do século 19, o Barão Jaime de Vasconcellos Smith foi um dos introdutores do jogo no país. A Sociedade Hípica Paulista (SP), fundada em 1911, e o Itanhangá Golf Club (RJ), inaugurado em 1933, sediaram as primeiras grandes disputas brasileiras. O Pólo começou e teve sua grande abrangência na década de 30, por ingleses aqui instalados, por fazendeiros e por militares brasileiros, principalmente, do interior de São Paulo, onde, até hoje, o esporte tem grande expressão. Além disso, há no Rio de Janeiro e no sul do país (pela grande influência de argentinos e uruguaios), uma forte presença deste esporte. Em 1963, a equipe da Sociedade Hípica Paulista venceu o Chile, em São Paulo e Santiago, pela Copa Alessandri, conquistando a primeira vitória internacional de um time formado por jogadores brasileiros. Aos poucos, mais e mais famílias passaram a adquirir propriedades na região, construindo seus campos de pólo e formando seus times, como, na década de 80, os rivais, Toca, de Alcides Diniz, e Rio Pardo Pólo, de Ricardo Mansur. Atualmente quem está tornando o Pólo mais conhecido no país é Ricardo Mansur Filho, que até 2002 foi considerado o melhor handicap amador do mundo. No ranking brasileiro, divulgado pela Federação de Hipismo, está em 2º entre os profissionais. Estes números habilitam o atleta a participar de competições de níveis altos e de grande visibilidade. A nobreza e a tradição do esporte Considerado o esporte dos príncipes e praticado essencialmente pelas elites, o Pólo teve sua origem no continente asiático. O esporte alcançou maior desenvolvimento na Índia, onde a presença dos ingleses foi fundamental para a reformulação das regras, diminuindo para quatro o número de jogadores. Joga-se Pólo na Argentina, considerada a Meca do esporte, na Austrália, Inglaterra, Estado Unidos, França, Suíça Marrocos, só para citar alguns. São três os principais torneios de pólo do mundo: os Abertos dos EUA, da Inglaterra e da Argentina. Curiosamente, prestes a comemorar um centenário de tradição, o U.S. Open estava sem local fixo. Porém, John Goodman, com um investimento de mais de U$ 40 milhões, inaugurou, em 2004, o International Polo Club Palm Beach, garantindo a 100ª Final do evento e sua permanência nos campos da Flórida. A Casa Real Inglesa manteve a tradição a cavalo, sendo que o pólo tem, com um de seus mais renomados embaixadores, o príncipe Charles. A sorte britânica não se repetiu em 2005, em 18 de julho, a equipe Dubai, mesmo desfalcada do "fenômeno", o argentino Adolfo Cambiaso, levantou a Veuve Clicquot Gold Cup no British Open. Enquanto isso, o príncipe Charles não se furta a sua paixão esportiva. Em 2004, comandou a equipe Highgroove, ao lado filho, o príncipe William, na Copa GCC, no The Guards Club, em Windsor. O torneio beneficente, uma disputa entre Oriente e Ocidente, levanta milhares de dólares para entidades filantrópicas do Reino Unido e Oriente Médio. Já em campos argentinos, o Campeonato Argentino de Pólo, de mais alto handicap do mundo, chegou à sua 112ª edição em dezembro de 2005. A equipe La Dolfina, que conta com o melhor jogador do mundo, o argentino Adolfio Cambiaso, levou a melhor em cima do Ellerstina Etiqueta Negra, sagrando-se campeã Argentina. São argentinos os dez melhores times do mundo, são argentinos os dez melhores jogadores do mundo. Nascem na Argentina os melhores cavalos de pólo do mundo. A razão do sucesso vem de longe, quando os colonos e agropecuaristas ingleses difundiam o jogo, construindo seus campos de pólo de norte ao sul do país. A cada ano, no Campeonato Argentino de Pólo, dezenas de milhares de torcedores lotam as arquibancadas em Palermo, Buenos Aires. Sob risco de cometer pequenas injustiças, pode-se dizer que os oito principais times sejam: Chapeleufu I e II, La Dolfina, La Aguada, Ellerstina, La Mariana, Miramar e Isla Caroll IPC. Fontes: http://www.informativocavalos.com.br http://www.limeiracountry.com.br http://www.porforadaspistas.com.br

Mariana Goulart


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha