créditos: Bella da Semana

A camisa

A história

A camisa sempre foi o símbolo da seriedade e classe em um homem. Boas camisas são feitas com medidas específicas, cortes exatos e modelagem planejada. Existem camisas para cada tipo de ocasião, podendo ser usadas em qualquer situação caso se respeite regras básicas do vestuário masculino,

A túnica dupla dos romanos era chamada de camisia, que seria hoje a camisa habitual. Sempre branca e feita de linho, era usada da túnica e servia para proteger a roupa da transpiração. Ainda em Constantinopla a camisia era usada com o mesmo fim, pois os tecidos das peças superiores eram muito ricos, bordados com ouro, prata e pedras preciosas, e por isso não dava para lavá-los.

As camisas dos nobres eram trocadas todos os dias, o que não acontecia com classes inferiores. A toillete, feita a noite, significava trocar a camisa branca usada por uma limpa. O refinamento das camisas era visto nos baús da nobreza, a camisa era um artigo caro e luxuoso, era símbolo de limpeza.
Durante o Renascimento, as camisas se firmaram, com golas de rufos, mangas bufantes e cheias de pregas e rendas. A camisa virou uma peça muito importante para completar as roupas nobres.

Feita geralmente de dois pedaços retangulares de tecido costurados nos ombros e nos lados, a camisa íntima era também conhecida como bata. A maior parte delas era vestida pela cabeça, com botões ou tiras para fechar atrás.
As roupas das crianças só começaram a ficarem mais infantis no século XIX, antes sempre foram cópias das roupas dos adultos. Até os cinco anos, a camisa era a única vestimenta das crianças. Os batizados tinham modelos especiais e mais rebuscados.

A camisa atual

Sempre como símbolo de status, a camisa mantém sua posição de peça principal para um visual impecável. Punho e gola branca, nas camisas azuis, por exemplo, é o ícone da elegância. Abotoaduras que são verdadeiras jóias e prendedores de gravatas completam o look clássico.

O visual despojado adotou a camisa menos sóbria, em jeans ou mangas curtas. As camisas começaram a ser usadas com calças informais para o dia-a-dia, sofrendo o impacto da moda e se rendendo as tendências. Com a globalização, marcas famosas foram expandidas, tendo o preço reduzido. Os tecidos sintéticos foram bem aceitos pela praticidade, uma camisa precisa estar sempre bem apresentável, nunca amassada, o que favoreceu as fibras artificiais.

A camisa foi massificada com a expansão do maquinário industrial, e passou a ser produzida em grande escala e preço mais baixo. As mangas foram cortadas e adaptadas ao calor. As pregas nas costas foram esquecidas e as golas simplificadas. Os alfaiates perderam a clientela para as máquinas, mas os homens que não dispensam a qualidade e continuam fiéis aos magos das tesouras, acreditando que um bom alfaiate é insubstituível.

As camisarias ainda têm o trabalho artesanal: cada cliente tem suas medidas adaptadas aos moldes, e a camisa é feita num processo trabalhoso e pessoal.
Homens importantes na história sempre mostraram um pouco da sua personalidade através das camisas que vestiram, ajudando assim, a manter o principal elo da elegância masculina em alta!

Fontes:
http://revistacrescer.globo.com
http://www.modasite.com.br/
http://pro.corbis.com


Mariana Goulart


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha