créditos: Bella da Semana

A vodka

Totalmente encoberta de mistérios, a origem da vodka se tornou polêmica. Sabe-se que é originária da Europa Oriental, sem saber exatamente se é da Rússia ou da Polônia. Várias nações reivindicaram o lugar onde nasceu a vodka, inclusive a Pérsia. A Vodka é consumida em países da Europa desde meados do século XIV. Os tsares (título usado pelos monarcas da Rússia Imperial) acabaram com a produção no começo da Primeira Guerra Mundial, e retomaram a produção em 1925 para amenizar o mercado negro que havia se estabelecido, devido ao preço alto, produzida por grupos criminosos. Nos registros de historiadores russos, a bebida aparece apenas em 1553 para definir uma mistura %u201Cvodka de vinho de cereais%u201D, ou seja, álcool dissolvido. A vodka aparece num decreto da Imperatriz Catarina I, com data de 8 de Junho de 1751 e que regulava o funcionamento das destilarias de álcool.

A bebida é incolor, destilada, quase sem sabor e com teor alcoólico entre 35 e 60%. Seu nome é o diminutivo de água%u2019 (agüinha em várias línguas eslavas). Feita para finalidades médicas, como anestésico e desinfetante, pode ser destilada do centeio, do trigo, da cevada e, principalmente, do milho. A vodka teve efeitos intoxicantes descobertos, e as famílias e as comunidades produziam a bebida com a finalidade apenas de beber, usada algumas vezes em eventos religiosos na Rússia antiga. Um copo era passado ao redor, contendo, às vezes, mais que um galão de vodka. Aqueles que se recusassem a participar eram considerados irreverentes demais. No começo do século XVII era costume servir vodka nos banquetes dos imperiais russos, onde todas as refeições começavam com o pão e a vodka.

A vodka é destilada em provas muito elevadas e filtrada através do carvão de lenha vegetal. Quanto mais elevada a prova, mais suave o sabor e mais desobstruída a cor. O processo de fabricação é o mesmo do uísque, sendo que este é destilado a baixas temperaturas, de onde vem o sabor dos cereais. Já a vodka é destilada a temperaturas altas e então submetida a filtragens químicas para neutralizar o aroma dos cereais. O mosto, líquido que é formado na fermentação de alguns cereais, tem baixa concentração alcoólica (6 a 8%) com um sabor característico da matéria-prima utilizada. O mosto é destilado em seguida e passa pelo processo da retificação, onde as purezas são eliminadas. Ambos os processos são repetidos diversas vezes, até que se obtenha um destilado com alto teor alcoólico, o que gira em torno de 90%, e depois misturado com água até atingir o teor desejado. Em seguida a filtração e purificação ornam a vodka pura e retira o restante das impurezas, com métodos através do carvão e de um filtro de membrana.
O produto final obtido deve ser extremamente puro e concentrado, sem odor. Algumas vodkas passam pelo processo de aromatização com sabores como limão, laranja e até pimenta.

Existem alguns tipos diferentes de vodka. A ocidental, por exemplo, prima pela pureza e claridade, possui aroma e sabor de álcool limpo e suave. As técnicas de produção levaram a uma bebida com quantidades mínimas de resíduos aromáticos e de sabor. A vodka polonesa é pura, porém tem sabor e aroma acentuados. Tem um discreto aroma adocicado, que demora a desaparecer, e também um suave paladar. Também são mais oleosas.
Já a vodka russa é suave e com sabor marcante, mas agradável, com uma sensação de queimação depois de ingerida.

Como o frio do leste europeu é intenso, a vodka sempre foi consumida em paises como os nórdicos, Ucrânia, Bielorússia, etc. Nestes países, a bebida é consumida pura, mas no resto do mundo ela é geralmente misturada a outras bebidas, como sucos de frutas e refrigerantes. Nos anos 70, a vodka se tornou popular quando os barmen substituíram bebidas destiladas tradicionais pela vodka na preparação de diferentes coquetéis.

Atualmente, a vodka está presente em qualquer bar. Com diferentes preços e nacionalidades, as misturas realizadas já se tornaram famosas, e até um complemento é indispensável, diferente do uísque que muitas vezes é apreciado puro. A apreciação fica por conta da quantidade de destilações que a bebida passa, elevando assim o preço e a qualidade. Com a globalização, marcas importadas ficaram mais acessíveis, permitindo que a vodka tenha se tornado quase que a bebida principal dentro de um bar.

Fontes:
http://darussia.blogspot.com
http://www.aogostinho.com.br
http://pt.chanceforlove.net
http://pt.wikipedia.org

Mariana Goulart


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha