créditos: Bella da Semana

A mulher deve dividir a conta do motel?

Difícil generalizar porque cada homem e cada mulher tem uma cabeça e expectativas bem diferentes. Existem os casais mais modernos que não vêem nisso um problema: paga quem tem. Se estivéssemos falando de boas maneiras ou regras de etiqueta eu diria que o correto seria o homem pagar ao menos a primeira ou a segunda conta. Da terceira em diante, supõe-se que o casal já tenha intimidade o suficiente para falar abertamente do assunto e propor algo mais condizente com a realidade. Mesmo porque é muito comum hoje em dia ver mulheres que ganham até mais que os homens. E neste caso, elas deveriam pagar? Será que o homem se sente à vontade quando sua namorada ou esposa paga? Será que ele não sente sua potência sexual diminuída dessa forma? Afinal de contas dinheiro, sexo e poder sempre caminharam lado a lado. Não sabemos até que ponto vai a natureza e a essência feminina e a masculina. Minha intuição me diz que tem um certo ponto que não deve ser abandonado pois é ele que define o que é ser homem e o que é ser mulher. Na minha opinião uma das características mais femininas que conheço é o talento que elas têm para cuidar. Toda mulher tem lá no fundo um instinto maternal pronto para ser acionado em alguma circunstância. E os homens gostam disso, gostam de ser cuidados, do colo macio, das mãos suaves. Neste final de semana eu estava com um grupo de pessoas na praia e era evidente a diferença. Todas as mulheres haviam levado toalhas, panos, sacolas, protetores e muito conforto para elas próprias e para os homens que ali estavam. Já os homens tinham só a roupa de banho no corpo. Esta é uma fotografia do que estou tentando falar aqui. As mulheres providenciam o conforto. E os homens gostam muito disso. Por outro lado qual é a mulher que não aprecia um homem que conserta a casa, que lhe dê a sensação de proteção? No geral as mulheres não querem um homem frágil, sentindo-se à vontade quando eles lhes passam segurança. De toda forma tem um ritual antigo que ainda é válido. Quer as mulheres estejam hoje ganhando mais ou menos que os homens, nos primeiros encontros fica mais bem definido quando o homem paga a conta. É um ritual antigo mas que traduz a essência masculina de proteção que talvez não deva ser abandonada. É muito parecido com a dança de salão quando o homem leva e a mulher é conduzida. Se você for analisar isso com uma visão bem radical pode chegar à conclusão de que este jeito de dançar é machista. Mas agora sou eu que lhe pergunto: o que vamos fazer, parar a dança? *Sergio Savian é terapeuta e escritor. Autor de 8 livros, dentre eles O amor na contramão, da Editora Ágora. Saiba mais sobre sua Escola de Relacionamento no site www.mudancadehabito.com.br ou no tel.: (11) 3057 3133

Sergio Savian


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Edições Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha