créditos: Bella da Semana

Domingão agitado no mundo da velocidade

Ontem, foi dia de Fórmula-1 na Turquia e de Indy nos Estados Unidos, onde aconteceu a 500 Milhas de Indianápolis, a principal prova do automobilismo mundial. E como não poderia deixar de ser, segunda feira é dia de review aqui no Bella da Semana.
 
500 Milhas
O escocês Dario Franchitti venceu ontem a prova pela segunda vez na carreira após liderar a maior parte das voltas e acertar a mão na estratégia, que é sempre muito importante em uma prova de resistência como essa. A prova foi finalizada em bandeira amarela após o assustador acidente com o inglês Mike Conway na abertura da última volta.
 
Hélio Castro Neves era o pole position, mas logo de cara foi superado pelo escocês que se segurou tranquilamente na ponta por um bom tempo enquanto seus rivais disputavam entre si pelas posições restantes. Os brasileiros foram deixando a prova pouco a pouco, começando por Bruno Junqueira na sétima volta a passando por Vítor Meira e Raphael Mattos, que chegou a andar na terceira posição.
 
Quem deu show no lendário circuito foi o brasileiro Tony Kanaan que largou na última posição após problemas do treino de classificação e no final da prova já brigava entre os líderes. Quando faltavam apenas 5 voltas ele pressionava o escocês Franchitti mas teve de fazer uma parada nos boxes para completar o tanque de combustível e chegou em 11º, duas posições atrás do brasileiro melhor colocado Hélio Castro Neves, tricampeão da prova e que a liderou no final mas também teve de parar.
 
Contando também com as paradas de Justin Wilson e Graham Rahal, Dario Franchitti pôde economizar combustível no fim e vencer pela segunda vez a prova que teve um final muito agitado.
 

O norte-americando Ryan Hunter Reay sofreu uma pane seca em seu carro na última volta e foi literalmente atropelado pelo inglês Mike Conway que foi catapultado contra a grande de proteção há pelo menos 4 metros de altura e rodopiou no ar. Quando aterrissou de ponta cabeça ele viu seu carro dividido em dois mas com a célula de sobrevivência intacta. Resultado final foi felizmente apenas um pé quebrado do inglês e nada acontecendo com os outros pilotos envolvidos, entre eles a brasileira Bia Figueiredo que passava por ali no instante do acidente e acabou rodando.
 
GP da Turquia
 
Pela manhã no horário brasileiro aconteceu o não menos agitado Grande Prêmio da Turquia que teve dobradinha na frente. Sim, houve dobradinha mas não da Red Bull como todos esperavam. Aí o amigo leitor se pergunta sobre o favoritismo e amplo domínio da equipe de Vettel e Webber em Istambul e eu digo que ele foi confirmado mas seus pilotos não souberam administrá-lo.
 
Na quadragésima primeira volta da prova Webber era o primeiro, Vettel o segundo, Hamilton o terceiro e Button o quarto. Tudo normal, duas Red Bull na frente seguidas por duas McLarens, o cenário mais esperado. Até que de repente o alemão Sebastian Vettel resolveu partir pra cima do companheiro de equipe e quando ele tinha meio carro à frente "guinou" para a direita para fazer a tomada de curva. Webber não afinou e os dois acabaram se tocando quando lideravam a corrida e tinha a vitória nas mãos. O saldo da tragédia é que Vettel abandonou a prova e Webber caiu para a terceira posição.
 
Ao final da prova Vettel reclamou do companheiro de equipe: "todo mundo pôde ver que ele não me deu espaço", afirmou o alemão. Webber rebateu: "Ele veio para a direita de uma vez e eu não pude fazer nada". E enquanto os dois trocaram acusações o chefe da equipe Christian Horner foi taxativo: "Eles sabem que disputas por posições não são proibidas na equipe mas um tem de dar espaço para o outro, isso não pode acontecer, hoje entregamos 43 pontos de bandeja para a McLaren". Nas próximas semanas algo pode acontecer e vale lembrar que Mark Webber ainda negocia a renovação de seu contrato para o ano que vem.
 
Sem culpa de nada e tendo assistido o acidente de camarote, o inglês Lewis Hamilton assumiu a liderança e ainda se viu em uma batalha com o próprio companheiro de equipe Jenson Button. Se faltava uma disputa por liderança e entre companheiros na Fórmula-1 então ontem tivemos logo duas.
 
Dessa vez porém Hamilton e Button deram um exemplo de como se comportarem nesse tipo de situação. Jenson colocou o carro de lado, dividiu as três pernas da curva 12 com Lewis e saiu na frente na reta dos boxes. O vencedor do dia porém não se deu por vencido e tomou o vácuo do atual campeão do mundo e assim que chegaram na curva 1 retomou a posição para uma vitória mais do que merecida.
 
Ao final da prova ele ainda deixou o mundo curioso pelo fato de ele não ter feito grandes comemorações ao sair do carro e também no pódio.
 

A Ferrari realizou na Turquia a 800ª corrida de Fórmula-1 de sua história mas de forma completamente apagada. Felipe Massa foi o sétimo colocado em uma corrida que ele classificou como "chata". Durante toda a prova ele disputou com o polonês Robert Kubica sem ter chance de ultrapassá-lo. Já Alonso chegou em oitavo tendo conseguido a posição de Vitaly Petrov apenas na última volta. e esbravejou: "Nosso lugar de direito não é brigando com a Renault, com todo respeito à minha ex-equipe".
 
Os outros brasileiros foram discretos mais uma vez, Barrichello foi o 14º, Lucas di Grassi o 20º e Bruno Senna abandonou no fim com problemas na bomba de combustível naquela que vinha sendo a melhor corrida de sua curta carreira na Fórmula-1.
 
No próximo dia 13 de maio tem mais uma prova, mesmo em meio à Copa do Mundo, é o Grande Prêmio do Canadá.

Carlos Garcia


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Edições Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha