créditos: Bella da Semana

Religião e Saúde

A ciência sempre questionou muito os milagres realizados por santos, entidades, espíritos etc. A busca de uma explicação científica para muitos fatos milagrosos tem sido o caminho para desmistificar muitos destes episódios. Mas o intuito deste artigo não é investigar isso. Não tecer criticas as mais diferentes religiões, crenças, seitas etc. Não é investigar o quanto a religião foi utilizada para o controle social ou as falhas ou pecados que a própria igreja cometeu ou comete. O intuito deste artigo é relatar, baseado naquilo que já se investigou, o quanto a fé, a crença religiosa, pode realmente interferir nos níveis de saúde e qualidade de vida. Pesquisas realizadas mostram que há uma relação direta entre fé e saúde, entre fé e melhora do quadro de pacientes em estado de saúde precário. Pesquisas nos mostram que pacientes de UTI, ao receberem orações de grupos destinados para este fim, começam a apresentar melhora significativa. A pesquisa é simples. Selecionam-se dois grupos de pacientes de UTI com quadros de gravidade semelhantes. O nome dos pacientes de um dos grupos é apresentado ao grupo de orações, aonde nenhum dos integrantes conhece os pacientes, para receberem orações pedindo pela melhora de seus quadros. O outro grupo continua com o tratamento normal sem receber orações. De forma surpreendente o grupo que recebe orações começa apresentar uma melhora significativa comparado ao grupo que não as recebeu. Cientificamente não se consegue explicar o que exatamente acontece, mas que algo acontece isso não se tem dúvida. Outras pesquisas mostram que pessoas que possuem algum tipo de religiosidade possuem uma sobrevida maior quando são acometidas por alguma doença grave. O número de suicídio também é menor entre pessoas que possuem alguma convicção religiosa. E pessoas que frequentam algum grupo religioso também possuem um menor risco de ataque cardíaco. É importante citar que não existe exatamente uma religião que é mais poderosa neste sentido. Qualquer tipo de convicção religiosa, seja ela qual for, parece trazer benefícios. Portanto, a que religião buscar, para que santo rezar, para que Deus pedir, isso parece não ter muita importância. A vontade e fé com que se pede, essa sim parece influenciar no resultados. Também não há um lugar especifico aonde se deve rezar, a prece pode ser realizada em qualquer hora ou lugar. O ato de rezar, de pedir aos céus, de realizar rituais com essa finalidade é histórico. Além dos rituais que mudaram ou foram adaptados com o tempo, as entidades a qual se clama também sofreram suas modificações. Pedir ao Deus Sol, a Deusa Lua etc, já não faz mais sentido hoje em dia. E as mais diferentes manifestações da natureza não são mais atribuídas aos momentos de ira, dos mais diferentes Deuses, descontentes com alguma conduta humana. A ciência vem apresentando um papel importante neste sentido, desmistificando o que não é milagre e se curvando ao que não parece ter explicação. Mais forte do que o santo tem que ser a sua rezar.

Flavio Sobierajski


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Edições Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha