créditos: Bella da Semana

Lesões no ombro

Veja se você conhece esta cena: você chega na academia, faz seus alongamentos e começa a treinar. Logo você começa a sentir uma dor na articulação do ombro, a mesma dor que acompanha você há algumas semanas durante determinados exercícios e algumas situações do dia a dia. Sendo assim, você resolve parar de treinar por um tempo. Logo que recomeça, a dor aparece de novo e você fica com seu rendimento comprometido, tendo que interromper novamente seu treinamento. Você não é o único. Grande parte das pessoas que praticam algum tipo de atividade física que exija força da parte superior do corpo, principalmente da articulação do ombro, apresentam algum tipo de lesão nesta região, tanto pela instabilidade da articulação ( em função de sua grande mobilidade), assim como pela falta de fortalecimento dos músculos, os grandes responsáveis por uma melhor estabilização do ombro( consequentemente, um ombro forte), o MANGUITO TOTATOR. A articulação do ombro, é a que possui a maior mobilidade do corpo humano. Mas por apresentar grande mobilidade ela também apresenta grande instabilidade o que faz com que todos os músculos, ligamentos e a cápsula articular tenham que estar bem sincronizados e fortalecidos para o seu bom funcionamento. Quando a habilidade da cápsula articular e os ligamentos glenoumerais( ligamentos e articulações que existem dentro do ombro) estão enfraquecidos ou lesionados ( luxação, fraturas, rupturas, tendinites, subluxaçao, etc..), um grupo de músculos (supraespinhal, infraespinhal, redondo menor e subscapular) chamados de MANGUITO ROTATOR - que tem como função principal manter a estabilidade da articulação do ombro - tenta compensar o problema, e conseqüentemente passa a ser mais exigido nos movimentos dinâmicos, o que não seria grande problema se estes músculos fossem fortes, mas dificilmente são trabalhados em exercícios convencionais na academia. Os movimentos repetidos do membro superior acima da cabeça fazem com que o úmero (osso do braço) atrite contra uma parte da articulação do ombro e seus tendões e cause a laceração de fibras. Se o indivíduo continuar a realizar os movimentos apesar da dor, o tendão poderá lacerar ou mesmo arrancar parte do osso. A dor no ombro é o sintoma principal. Inicialmente, a dor ocorre somente durante as atividades que exigem a elevação do membro superior acima da cabeça e o retorno do mesmo para a frente e com força. Posteriormente, a dor pode ocorrer mesmo quando o membro superior é movido para frente como, por exemplo, em um simples aperto de mãos. Esta exigência faz com que ocorra uma sobrecarga nos músculos que não estando fortalecidos, passa a sofrer então uma pressão sobre os tendões do MANGUITO ROTATOR por parte das estruturas ósseas e dos tecidos moles que rodeiam a articulação, gerando uma inflamação dos tendões e das bolsas subjacentes, o que o torna irritado, fraco e inflamado, gerando a dor no ombro. Com a dor vem a incapacidade de recuperar a total função do ombro, necessária para quase todas as atividades esportivas e situações do cotidiano. Resumindo, toda vez que você tiver algum músculo no seu corpo que não seja forte o bastante para determinada exigência esportiva ou do dia a dia, a sobrecarga vai para os ligamentos, tendões e articulações. No caso especifico do ombro, se você não tem a musculatura bem equilibrada e o MANGUITO ROTATOR fortalecido, você vai sentir as famosas: tendinites, bursites e etc... MOTIVOS DAS LESÕES Entre os principais motivos das lesões estão; - SÍNDROME DO IMPACTO: atividades que exigem movimentos repetitivos em determinada articulação acabam gerando lesões como tendinite, bursite, etc. Alguns exemplos dessas atividades são o tênis (muitos saques e movimentos acima da cabeça), o vôlei (idem), a natação (movimentos repetitivos como no nado crawl e borboleta), o judô (sobrecarga na articulação do ombro em função de alguns golpes), tocar um instrumento (a posição em que se toca violino, por exemplo), etc... - DESEQUILÍBRIOS E INSTABILIDADE DA ARTICULAÇÃO: como já foi comentado, é importantíssimo ter os músculos que exercem funções contrárias nas articulações (biceps/triceps; quadríceps e posterior de coxa; deltóide anterior e posterior..) trabalhados de maneira proporcional para um desenvolvimento harmonioso que gere boa estabilidade durante os exercícios e nos aspecto posturais do individuo. - MÁ EXECUÇÃO E EXERCÍCIOS "PERIGOSOS": procure evitar, ou peça ao seu professor de educação física para modificar o padrão de certos exercícios que são mais prejudiciais à articulação do ombro como: Evitar: Desenvolvimento por trás (fazer desenvolvimento pela frente ou com halteres e pegada neutra); puxador por trás (fazer puxador pela frente ou com a barra de pegada neutra); remada alta ; supino com muito peso e etc... OBS.: Uma pequena variação nos exercícios pode diminuir muito a sobrecarga sobre as articulações. Mas lembre-se: não existem exercícios contra-indicados, existem pessoas contra indicadas a determinados exercícios. - FALTA DE AQUECIMENTO: a falta de um bom alongamento e aquecimento antes do treinamento de musculação, pode gerar lesões graves principalmente nos dias mais frios. Como sugestão, deve-se fazer exercícios de aquecimento local, isto é, que envolva grandes grupos musculares trabalhando com pesos leves e mais repetições do que utilizado normalmente e fazer algumas séries antes movimentando bem a articulação que vai ser trabalhada. - MÁ POSTURA: A má postura durante os exercícios faz com que os músculos do MANGUITO ROTATOR, fiquem sobrecarregados e com menor eficiência, e acabam sendo "pinçados" pela articulação nos seus tendões. Ela não decorre somente da falta de orientação na execução do exercício, mas também do excesso de carga que - principalmente os mais jovens - colocam, o que não seria problema se não superasse sua capacidade, mas quase 100% das vezes ultrapassa. - RECUPERAR O TEMPO PERDIDO: é isto mesmo! Quando a atividade física não é algo regular, isto é, só se pensa nela no famoso projeto verão, o praticante tende a aumentar pesos e repetições, esquecendo que os músculos adaptam-se mais rapidamente ao treinamento que os tendões, ligamentos e articulações. Em outras palavras, os músculos estão preparados para aumentar o peso, mas as outras partes não, gerando lesões. SUGESTÃO NO TREINAMENTO: Como já mencionei, além de modificar ou evitar certos exercícios, é importantíssimo que você faça exercícios que fortaleçam o MANGUITO ROTATOR, tais como movimentos de rotação externa do ombro, podendo ser feitos com elásticos, pesos ou só com o movimento do corpo. Obs: os movimentos de rotação interna não são tão importantes, visto que em alguns exercícios convencionais já são trabalhados. Peça ao seu professor para colocar na sua ficha de qualquer maneira, pois isto independe dos seus objetivos. Dicas finais: - Se sentir dor, procure um profissional da área da saúde para descobrir os motivos e não faça exercícios, de maneira nenhuma, se estiver com dor! - Peça ao seu professor para fazer exercícios que fortaleçam o Manguito Rotator. Não é demorado e, mesmo que você não sinta dor, ajudará na prevenção; - Peça ao seu professor para substituir certos exercícios que facilitam as lesões como: puxador por trás, remada alta, desenvolvimento por trás, supino,etc., por outros que tenham os mesmos músculos trabalhados de maneira mais segura; - Caso algum outro exercício faça você sentir alguma dor, por menor que seja, não hesite em pedir ao professor que substitua. Lembre-se que tudo começa com uma pequena dor ; - E não esqueça: sempre faça alongamento antes de iniciar a prática da musculação e aqueça seus músculos nos exercícios que você irá fazer com menos peso antes de começar a série; Abraços e até a próxima!

Prof. Felipe Silveira Soncini - 002344/g – sc


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha