créditos: Bella da Semana

Stress

A palavra stress está muito comum nos dias de hoje. É comum escutarmos as pessoas falarem que estão com stress, que isso gera stress, que aquilo é estressante e por aí vai. Mas o que é o tal do stress? - Stress é uma palavra derivada do latim. Durante o séc. XVII ganhou a conotação de "adversidade" ou "aflição". No final do século seguinte, seu uso evoluiu para expressar "força", "pressão" ou "esforço" (...) no inicio do século XX estudioso das ciências biológicas e sociais iniciaram a investigação de seus efeitos na saúde física e mental das pessoas. Quem primeiro definiu o stress sob este prisma foi o austricaco-canadense Hans Selye, conceituando-o como qualquer adaptação requeria à pessoa. Como já foi citado outras vezes, nosso corpo possui reações de forma primitiva. Uma dessas reações é a de luta ou fuga. Toda vez que passamos por uma situação tensa (esta situação tensa irá variar de pessoas para pessoa, pois o que é situação tensa para mim pode não ser para você) nosso corpo reage dessa forma (luta ou fuga) ocorrendo algumas alterações fisiológicas como: descarga de adrenalina acarretando em vaso constrição periférica para que, se houver ferimento, seja menor o sangramento concentrando sangue nos músculos; aumento dos abatimentos cardíacos, liberação de açúcar pelo fígado, aceleração da respiração etc. Todo esse preparo fisiológico ocorre para que haja luta ou fuga. Como os padrões de comportamento atuais não permitem a manifestação desses impulsos o correto é "engoli-los" e deixar transparecer uma falsa impressão de tranqüilidade e domínio da situação. Este sentimento reprimido gera prejuízos importantes ao organismo desequilibrando nossas funções orgânicas gerando hipertensão arterial, queda no sistema imunológico, deixando nosso corpo mais suscetível a doenças. Como podemos nos defender disso? Como podemos nos defender de um processo instintivo que ocorre de forma independente? Já que não podemos nos livrar do stress a saída é saber administra-lo. Quanto mais organizada e planejada for a nossa vida, menor o nível de stress. Alguns fatores que podemos controlar são: planejar a agenda com antecedência com boa quantidade de tempo para realizar as tarefas e tentar prever os imprevistos; quando os imprevistos aparecerem saber administra-los com calma e racionalidade; fazer uma coisa de cada vez; se o atraso for inevitável relaxe, ficar tenso só irá agravar a situação; evitar sentimentos negativos como a raiva e inveja, procurar evitar ser tão competitivo; se alimentar de forma natural e moderada; ter um sono tranqüilo com 8 horas; praticar exercícios físicos se possível diariamente; buscar técnicas de relaxamento como a yoga e meditação. O tipo de personalidade é um fator endógeno que influencia no stress. Alguns tipos de personalidade são mais propensos ao stress que outros. O famoso "pavio curto", como se diz na gíria, sofre muito mais com stress do que aquele tipo "tô nem aí". A personalidade é influenciada pela genética e o meio em que o individuo esta inserido. Os fatores exógenos, que muitos deles não podemos controlar, também são fontes importantes de stress. Divórcio, perda de emprego, gravidez não programada, morte de ente querido etc, são fontes geradoras de stress, possuindo cada uma delas um impacto maior ou menor, dependo de como ou o quanto cada individuo esta preparado para tal situação.

Flavio Sobierajski


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Edições Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha