créditos: Bella da Semana

Mudança de Hábito

Muitas pessoas sabem que para melhorar sua saúde necessitam mudar os hábitos alimentares e praticar exercícios físicos regulares. Elas sabem! Mas porque não fazem? Ou por que tentam e desistem? Mudar hábitos que já estão encrustados em nossas rotinas há anos não é tarefa tão simples. Nossos hábitos são como músicas num disco que se repetem todos os dias. Trocar estes discos inteiros parece ser tarefa impossível. Aos poucos, ir trocando música por música, parece ser o mais sensato para se conseguir êxito na mudança de hábito. Outra forma de se mudar hábitos não saudáveis por saudáveis é através do susto. Susto? É! Muitas pessoas somente modificam de forma radical seu estilo de vida aos serem informadas por seus médicos que seus exames apresentaram resultados de extremo risco e somente uma mudança radical poderá gerar uma sobrevida interessante. Uma outra forma de se modificar os hábitos seria quando esses hábitos estão gerando um desconforto emocional importante. É quando a pessoa geralmente se queixa que não suporta mais viver daquela forma, buscando na mudança radical, uma forma de aliviar o seu sofrimento. Modificar o estilo de vida querendo seguir o 100% saudável parece ser utópico para a maioria das pessoas. A sociedade moderna nos bombardeia de novidades que geram prazer que, na maioria da vezes, não são saudáveis. Por exemplo: vida noturna, fast food, bebidas alcoólicas. Nos privarmos desta novidades parece ser impossível. Então, como para maioria dos indivíduos é impossível viver 100% saudável e também é impossível se privar das novidades não saudáveis da sociedade moderna, a saida mais lógica e racional parece ser aquilo que não é novidade, o famoso e almejado equilíbrio. Mas o que é o equilíbrio? É desfrutar da vida noturna somente aos finais de semana? Desfrutar até que horas da madrugada? Consumir fast foods uma vez por semana? Ou quem sabe duas. O que é beber moderadamente? O equilíbrio, portanto, irá variar de pessoa para pessoa aonde deve ser levado em conta suas condições de saúde, variando no tempo e no espaço. O que é equilíbrio para um jovem não será equilíbrio para um idoso. "Sair" aos finais de semana chegando em casa as 3 horas da madrugada parece ser razoável para um jovem. Seria razoável para um idoso? Hábitos equilibrados numa região de muito calor não serão equilibrados numa região de extremo frio. Mais uma vez vale citar Pini "rumo ao ideal sem ser radical" parece ser esse o lema de uma vida equilibrada. Posturas radicais costumam não dar certo em todos os seguimento da vida. Seja feliz buscando sempre o equilíbrio!

Flavio Sobierajski


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha