créditos: Bella da Semana

Alimentação Infantil

Esse artigo é para os senhores pais e também para as crianças que já sabem ler. Toda criança está num momento muito especial de suas vidas. É o momento do seu crescimento e desenvolvimento. Para que este crescimento e desenvolvimento sejam adequados a alimentação tem papel fundamental. Infelizmente o que vemos hoje em dia é um quadro bastante preocupante. As crianças se alimentam daquilo que é gostoso, sem se preocupar com a qualidade dos nutrientes ingeridos. Fast foods, doces, refrigerantes, salgadinhos, são o carro chefe da alimentação desde tenra idade. Quantidade exagerada de calorias, somadas a poucos nutrientes e substancias químicas prejudiciais, geram uma bela combinação extremamente nociva. No final da formação dessa criança o que temos? Um jovem, geralmente com um excesso de peso importante, com seu sistema imunológico enfraquecido e condicionamento físico pífio. Não precisa ser nenhum especialista pra saber que este indivíduo será um adulto com saúde precária e um idoso, se chegar lá, com sérios problemas. O que a mídia estimula em termos de alimentação para as crianças é algo de criminoso, utilizando as mais diferentes formas de propaganda para fisgar este inocente consumidor. Esses "alimentos" estão sempre associados a ícones da sociedade, como atletas de renome, crianças de sucesso e classe artística variada. O compromisso dessas empresas é com as vendas e nunca com a saúde da população, que consome toda esta bomba sem questionamentos. Além das propagandas, outras estratégias são utilizadas, como colocar esses produtos nas gôndolas mais baixas nos supermercados para ficarem na altura dos olhos das crianças. Outra artimanha é agregar ao produto algum atrativo, como brinquedinhos, figurinhas, artigos para coleção etc. Como fugir disso? Tudo deve começar em casa. Pais com hábitos alimentares saudáveis transmitem isso naturalmente para seus filhos. Não adianta estar com o prato cheio de porcarias insistindo para que a criança coma salada. Um exemplo vale mais do que mil palavras. A continuidade deste exemplo familiar deve seguir para escola, com merendas saudáveis e proibição da venda de produtos prejudiciais nas cantinas. As besteirinhas até poderão aparecer na alimentação de vez em quando, mas sendo a exceção e nunca a regra. A obesidade infantil preocupa especialistas do mundo inteiro e não é, como muitos acreditam, um problema das classes de poder aquisitivo maior. O índice de obesidade é bastante elevado nas classes baixas, pois são grandes consumidores de frituras, pão, macarrão, arroz, fubá etc. Esses alimentos são ricos em carboidratos e quando consumidos em excessos são transformados em gordura. Ações dentro da família, ações a nível de governo e uma atitude menos cruel dos empresários do ramo, parece ser o caminho para melhora da qualidade de vida de nossas crianças no quesito alimentação.

Flavio Sobierajski


Sobre o Bella Politica de Privacidade Política de Cancelamento Programa Afiliados Área do parceiro Imprensa Contato RSS

Preencha o endereço de e-mail utilizado no seu cadastro para receber sua senha